reunião de apresentação de empresa

Como atrair investidores com a apresentação da tua empresa?

Desenvolveste uma ideia de negócio excelente, mas precisas de capital para avançares? Então, está na hora de fazeres a apresentação da tua empresa a investidores. Sabemos que para muitos esta missão é uma fonte de stress e ansiedade, mas com a nossa ajuda tem tudo para ser bem-sucedida!

Podes e deves dar a voz da tua empresa e o teu toque pessoal ao pitch. No entanto, há uma estrutura de 12 partes que podes seguir para maximizar as tuas hipóteses de sucesso.  Aqui te deixamos o nosso guia prático para um pitch infalível.

 

1. Agenda:

First things first, começa por resumir os tópicos que vais abordar e em que ordem.

 

2. Equipa:

Apresenta a equipa da tua Startup, a área funcional de cada colaborador e uma breve descrição do seu trabalho.

 

3. Problema:

O teu bem ou serviço apenas é viável se responder a uma necessidade ou problema no mercado. Expõe essa lacuna para que os investidores confirmem que ela existe, ou melhor ainda, para que também se questionem e a sintam.

 

4. Solução:

De forma clara e direta, explica como é que a oferta soluciona o problema que acabaste de referir. Apoia a tua afirmação com, pelo menos, um caso de sucesso.

 

5. Fatores diferenciadores:

Sublinha os aspetos que tornam a tua oferta diferente e melhor do que quaisquer outros bens ou serviços existentes no mercado.

 

6. Produto/serviço:

Mostra como funciona a tua ideia, como deve ser usada e algumas das principais funcionalidades do teu produto ou serviço.

 

7. Mercado:

Apresenta o teu público-alvo e a sua dimensão.

 

8. Modelo de negócio:

Resume como a tua startup cria e entrega valor ao público-alvo. Aproveita para abordar tópicos como a estrutura de custos e os canais de venda.

 

9. Concorrentes:

Sê transparente ao expor quem são os concorrentes da tua empresa. Mesmo que haja pouca ou nenhuma concorrência direta, há sempre concorrentes que, embora não ofereçam algo similar, constituem uma alternativa.

 

10. Plano de Marketing:

Clarifica de que forma e com recurso a que meios a tua empresa pretende atrair e reter potenciais clientes.

 

11. Métricas:

Tanto quanto possível, sustenta as tuas afirmações em cálculos, projeções e dados históricos.

 

12. Plano de investimento:

Realça as áreas em que a tua empresa precisa de investimento. É essencial que expliques como os recursos alocados às mesmas contribuirão para alcançar os objetivos do negócio.

 

Tudo isto pode parecer demasiado para transmitir durante a apresentação da empresa. Por isso, tenta ser abrangente, e não entres em demasiados detalhes. O ideal é demorares, no máximo, 15 minutos. O objetivo é criar um panorama geral que cative e motive os investidores a querer manter o contacto.

Deixamos-te mais algumas dicas que consideramos fundamentais para o sucesso da apresentação da tua empresa:

 

1. Prepara-te para a apresentação da empresa

Pesquisa sobre os investidores que vão estar presentes para que possas criar uma relação e treina a apresentação da empresa várias vezes até que se torne natural.

 

2. Conta uma história

Recorrer ao storytelling ajuda os investidores a identificar-se e a criar empatia com o que estás a apresentar. Aproveita para contar como a startup foi fundada ou alguma situação importante para a equipa, mas não demores demasiado.

 

3. Mostra o teu valor

A proposta de valor é um dos aspetos mais vitais na apresentação da empresa. É a razão pela qual o público-alvo deve adquirir os produtos ou serviços. Dedica algum tempo a elaborar uma proposta clara, sucinta, honesta, diferenciadora e memorável. Apenas com a proposta de valor, os investidores devem ser capazes de entender como é que a tua oferta resolve um problema.

 

4. Apresenta o modelo de negócio

O modelo de negócio deve clarificar como a empresa cria valor e garante lucros. Especifica alguns dos seguintes tópicos: custos, vendas, recursos, parcerias e distribuição.

 

5. Usa dados e números

Os números não mentem e passam muito mais confiança. É por isso que os investidores exigem que lhes apresentes dados exatos. Complementa a apresentação da empresa com pesquisas e previsões fundamentadas. Entre outros indicadores, menciona a quota de mercado, o lucro líquido e as taxas de crescimento expectáveis.

 

6. Antecipa os próximos passos

Para mostrares que a tua equipa sabe orientar o negócio, é importante que expliques o que precisa de ser feito no curto/médio prazo. Isso ajuda os investidores a ficarem mais confiantes ao alocar capital e a avaliar qual o nível necessário de expertise e envolvimento.

 

7. Responde às perguntas

Se dominares o conteúdo a apresentar, vais estar à vontade para responder às questões dos investidores. Isto exige um estudo minucioso, por isso, investe na tua pesquisa para conseguires responder assertivamente às perguntas que te serão colocadas.

 

Agora que já tens tudo o que precisas para preparares a apresentação da tua empresa, enche-te de coragem e garante o tão desejado investimento para conseguires dar mais um passo rumo à expansão do sucesso do teu projeto.

 

Para mais artigos sobre coworking, networking e outras tendências atuais no mundo do trabalho, não deixes de subscrever a nossa newsletter e blog.

 


 

Subscreve a nossa Newsletter


    grupo em reunião para criar empresa

    Criar uma empresa: Transforma as tuas ideias num negócio!

    Empreendedorismo é uma das palavras mais ouvidas na atualidade. Cada vez mais, os jovens são incentivados a criarem os seus próprios empregos e a gerarem oportunidades. Porém, transformar ideias num negócio e criar uma empresa nem sempre é fácil.

    Embora nem todos tenhamos o objectivo de ser empreendedores, certamente a maioria de nós vai ter algumas ideias brilhantes ao longo do seu percurso pessoal e profissional. Se estiveres disposto a aceitar o risco e avançar com coragem,  poderás concretizar os teus projetos e transformá-los numa ideia de sucesso.

    Neste artigo, encontrarás algumas dicas sobre o que deves fazer neste percurso rumo à tua nova empresa.

     

    5 Passos para transformares as tuas ideias num negócio

     

    1. Partilha as tuas ideias. O feedback é importante

    Muitas vezes, quando temos uma ideia que achamos ter potencial e começamos a pensar na possibilidade de transformá-la num negócio, temos medo de partilhá-la. Certamente, muitos de nós ouvimos dizer toda a vida que é mais seguro guardarmos as nossas ideias do que contá-las aos outros, só que nos esquecemos de que “os outros” podem ser as pessoas certas para nos ajudarem a tirar os projetos da gaveta e criar uma empresa.

    Ao contrário do que possas pensar, é muito importante partilhar e ter feedback de terceiros. Provavelmente, será essa troca de ideias que fará com que a tua prospere. Além dos amigos e familiares, procura opiniões de pessoas que tenham um maior conhecimento do mercado no qual gostavas de investir.

    Trabalhar em sítios que fomentem essa partilha, como os espaços de coworking, é uma grande mais-valia para quem está a começar. Poderás encontrar pessoas com outras ideias, que sejam complementares à tua, e, quem sabe, descobrires o parceiro perfeito para iniciares o teu negócio.

     

    2. Não queiras fazer tudo sozinho, trabalha em equipa

    Como sabes, todos temos competências diferentes e é essencial sermos capazes de perceber até onde conseguimos ir. Faz uma autoanálise e descobre as tuas limitações. Só assim serás capaz de perceber se precisas ou não de um parceiro.

    Às vezes, mais do que encontrar um parceiro à altura, é fundamental descobrir uma equipa que nos orgulhe, que cresça connosco e que nos faça crescer. O trabalho em equipa também é importante para a consolidação das ideias, o crescimento e, consequentemente, o sucesso e o aumento de receitas.

     

    3. Faz alguns testes e pensa em todas as alternativas

    O momento de criar uma empresa é realmente importante e representa um grande compromisso. Por isso, é indispensável que antes de avançares, e depois de já teres reunido todos os feedbacks, testes a tua ideia e penses em várias hipóteses.

    Deves pensar como um investidor, perceber se é esta a melhor altura para avançar, quem são os teus clientes, se existe concorrência no mercado, onde estão as melhores oportunidades, etc. No fundo, tens de desenvolver um plano de negócios incrível!

     

    4. Estuda a concorrência

    O mercado é cada vez mais competitivo, por isso, é necessário estudares a concorrência antes de criares a tua empresa. Qualquer que seja o setor em que estás a pensar investir, vão certamente existir outras empresas a oferecer o mesmo produto ou serviço que tu. Analisar a concorrência e perceber como esta atua são pontos fundamentais para a estratégia do teu negócio e para o seu progresso. Só assim poderás diferenciar-te dos restantes e conseguir encontrar a melhor oportunidade para a tua ideia.

     

    5. Encontra o teu público-alvo e trabalha para ele

    Além da concorrência, há outra parte fundamental em qualquer negócio: o público-alvo. Se estás a criar um produto ou serviço vendável, tens de definir muito bem quem é o teu potencial cliente e trabalhares para ele. Só depois de teres o consumidor ideal definido é que serás capaz de adaptar a tua linguagem e a tua marca para oferecer o que este necessita.

     

    Se estás à procura de oportunidades e tens uma ideia que gostavas de ver transformada num negócio, atreve-te a conhecer o Piece of Work. No nosso espaço de coworking, encontrarás um ambiente propício à criatividade e um conjunto de pessoas prontas para te ajudarem em tudo o que precisas.

     

    Conhecer o Piece of Work

     


     

    Subscreve a nossa Newsletter


      grupo de pessoas em trabalho remoto

      Como tornar o trabalho remoto produtivo na tua empresa

      Manter a produtividade num trabalho remoto pode ser um grande desafio para muitas pessoas. No entanto, são cada vez mais os que adotam este estilo de vida profissional.

      Trabalhar à distância – optando pelo home office ou recorrendo a espaços de coworking – tem cada vez mais adeptos. É muito comum, por exemplo, dentro da classe dos jovens empresários e fundadores de startups, preferir o trabalho remoto total ou parcial.

      Manter uma rotina flexível, podendo conciliar melhor os compromissos pessoais e profissionais e diminuir custos fixos, é o que atrai a maioria das pessoas. No entanto, esta liberdade, quando mal gerida, pode apresentar alguns desafios.

      Se geres uma pequena empresa e tens uma equipa de colaboradores a trabalhar remotamente, há algumas dicas que podes e deves ter em conta.

       

      1. Cria rotinas e define prazos

      No trabalho remoto não existe a necessidade, ou obrigação, de estabelecer um horário fixo de entrada e de saída. Se tens alguns elementos da tua equipa a trabalhar remotamente, é natural que cada um gira o seu horário como melhor lhe convém.

      No entanto, é muito importante criar algumas rotinas com os teus colaboradores e definir prazos. Podes, por exemplo, fixar uma hora para conclusão de determinada tarefa ao invés de definir um dia.

      Estabelecer deadlines rigorosos pode ajudar a criar uma rotina de trabalho entre toda a equipa. Mas evita ser altivo ou demasiado controlador. O importante é criar relações de empatia e confiança com a tua equipa para que tudo flua da melhor forma.

       

      2. Recorre a ferramentas para facilitar o trabalho remoto

      A tecnologia será a tua melhor amiga. Investir em ferramentas como o Asana ou o Slack vai ajudar-te a criar rotinas na equipa e facilitar o trabalho remoto.

      Este tipo de plataformas é ideal para fazer uma melhor gestão da comunicação interna da empresa, permitindo a organização e partilha de ficheiros, gestão de tarefas, agendamento de reuniões, chat ou videoconferências.

       

      3. Agenda reuniões semanais e fortalece laços

      Mesmo que parte da tua equipa trabalhe à distância, é importante conheceres os teus colaboradores. O ideal é agendar semanalmente uma reunião presencial com todos os membros.

      O contacto físico fortalece os laços entre as pessoas, aumenta o sentimento de comunidade e melhora a produtividade. Para as reuniões, procura um ambiente profissional. Opta, por exemplo, por um espaço de coworking onde possas arrendar salas de reuniões.

      É essencial que ninguém se sinta discriminado.  Portanto, esforça-te por colocar todos os trabalhadores no mesmo patamar, independentemente de trabalharem remotamente ou não.

       

      coworking lisboa

      POW é o novo espaço de coworking em Lisboa

      LER ARTIGO

       

      4. Dá sempre feedback à tua equipa

      Se desejas ver os teus colaboradores remotos motivados, deves sempre investir no feedback. Não há nada pior do que sentir que o nosso esforço não é valorizado. Se queres ter uma equipa apaixonada e produtiva, cria momentos de conversa onde possam trocar ideias sobre o trabalho que está a ser realizado. É essencial que toda a empresa comunique regularmente.

       

      5. Investe na carreira dos teus colaboradores

      É muito importante dar perspetivas de carreira às pessoas que trabalham contigo, mesmo àqueles que colaboram remotamente. Dar uma visão de crescimento dentro da empresa estimula os colaboradores e torna-os mais produtivos. Para aqueles que fazem trabalho remoto, certamente será uma forma de os fazer sentir mais motivados e integrados.

       

      A produtividade é essencial para o sucesso de qualquer negócio. Se estás a gerir uma empresa, mesmo que se trate de uma startup, subscreve o nosso blog e fica a par das melhores dicas para melhorar o desempenho da tua equipa.

       


       

      Subscreve a nossa Newsletter